Pesquisar neste blogue

terça-feira, 5 de abril de 2011

Bolonha - Basilica di San Stefano

Basilica di San Stefano - Fachada
Conhecida como a Jerusalém de Bolonha, a Basília de S. Stefano é um conjunto de edifícios de culto, designado também por Complexo das Sete Igrejas.

São Petrónio terá sido o mentor deste complexo que tenta imitar o Santo Sepulcro de Jerusalém. A construção da Basílica teve início no séc.V,  no local onde existia um templo dedicado à Deusa Ísis.



Basilica di San Stefano - Fachada
Da Piazza Santo Stefano tem-se uma visão geral que inclui as fachadas das três igrejas del Crocifisso, del Sepolcro e dei Santi Vitale e Agricola. O grupo tem, apesar dos diferentes tipos, e das muitas intervenções de restauro e reconstrução, uma forte consistência de estilos que fazem dele o mais interessante monumento  românico da cidade de Bolonha.
Na zona exterior da igreja podem ver-se os túmulos medievais dos primeiros bispos da igreja de Bolonha.

Basilica di San Stefano -  Túmulos Medievais


La Chiesa del Crocifisso

É a igreja principal do complexo. De origem lombarda (séc. VIII), foi reconstruída no séc. XII e restaurada no final do séc. XIX. É constituída por uma única nave com um presbitero elevado ao fundo, ao qual se acede através de uma escadaria, onde está suspenso um crucifixo esculpido Simone dè Crocifissi,   em 1380. 


Basilica di San Stefano -  Igreja do Crucifixo

Na  parte inferior está a cripta, subdividida em cinco naves, com colunas diferentes umas das outras e cuja altura da base ao capitel é precisamente equivalente à de Jesus (1,70m). Ao fundo da cripta em cima de   um altar estão os restos mortais dos santos Vitale e Agricola.


La Basilica del Sepolcro

É o edifício mais antigo do complexo. Tem cerca de 1200 anos de história cristã e 200 de culto pagão a Isis (Deusa da Fertilidade). Provavelmente o Templo a Isis era nesta área, devido à fonte de água (indispensável no culto pagão), como também  devido à  presença de sete colunas de mármore africano, reutilizadas e ainda visíveis nos dias de hoje e às quais se juntaram colunas medievais de tijolo.

Basilica di San Stefano -  Basílica do Sepúlcro
No centro existe um  púpito com relevos que serviu para acolher as relíquias de S. Petrónio, cujos restos  mortais foram aqui encontrados em 1141 (no ano 2000 foram transladados para a Basílica de S. Petrónio). 

Este templo circular foi utilizado como baptistério desde o séc.V  e adquiriu a sua actual  forma octagonal num polémico restauro do séc.XII, que destruiu os frescos existentes nas paredes.


Chiesa dei San Vitale e Sant'Agricola

Esta igreja do séc.V, é dedicada aos santos Vitale e Agricola e reflete um estilo românico lombardo. Estes santos, respectivamente, servo e senhor, foram as duas primeiras vítimas bolonhesas, mártires da perseguição na época de Diocleciano (305 dC).

Basilica di San Stefano - Exterior da Igreja de S. Vitale e S. Agricola 

Dentro da igreja é possível observar através de vidros, vestígios de mosaicos romanos. Nas cúpulas laterais encontram-se os sarcófagos (vazios) dos santos, adornados com figuras de animais (leões, veados e pavões) em baixo relevo.

No corredor à direita encontra-se uma cruz que se diz ser a do sacrifício de Sant'Agricola.

Cortile di Pilato

Contruído no séc. XI-XII, tem este nome por evocar o percurso de Cristo durante a paixão. É limitado a norte e a sul por arcadas românicas, com colunas em forma de cruz.

No centro existe uma pia em pedra, sobre um pedestal, chamada de Bacia de Pilatos. Esta peça foi oferecida à igreja pelo rei lombardo Liutprando.

Basilica di San Stefano -  Pátio de Pilatos

Sob o alpendre, numa janela, em cima de uma coluna há um galo de pedra, que data do séc. XIV, chamado de "Galo de S. Pedro" para lembrar o episódio do Evangelho da negação de Jesus.

Significativa para o simbolismo da paixão de Cristo é que a distância entre este pátio e a vizinha Igreja de San Giovanni in Monte (ver artigo), que seria a mesmo que dista em Jerusalém, entre o Sinédrio e o Calvário.


Chiesa dell Martyrium

Também conhecida como da Santa Cruz, do Calvário e da Trindade.


Basilica di San Stefano -  Igreja dos Mártires - Exterior
Pensa-se que terá sido utilizada como um lugar onde estavam os corpos dos mártires Vitalis e Agricola (daí martyrium), depois com o advento dos lombardos, tornou-se o batistério, posteriormente, segunda a tradição carolíngia, da Trindade.

Foi reconstruída no séc.XX pelo Edoardo Collamarini, de acordo com as pesquisas arqueológicas, sendo constituída por cinco naves.

No seu interior encontramos uma capela - cruciforme- Capela da Cruz, onde era mantida, desde o tempo das Cruzadas até 1950, uma relíquia da Cruz de Cristo, agora no Museu.


Basilica di San Stefano - Igrejas dos Mártires - Interior

Il chiostro medievale

Tem como característica principal  ter dois andares, o inferior, de estilo pré-românico, possui aberturas em arco, o superior tem colunas de estilo românico-gótico. Daqui podemos observar a torre do complexo, originária do séc. XIII, foi aumentada no séc XIX.


Basilica di San Stefano - Claustro

Basílica de S. Stefano
Informações úteis
9h00/12h00 - 15h30/18h30
Site: http://www.abbaziasantostefano.it/

Sem comentários:

Enviar um comentário