Pesquisar neste blogue

sábado, 2 de abril de 2011

Bolonha - La Rossa

Depois de muito ponderar, resolvi começar o meu blog, por uma das últimas cidades que visitei - Bolonha.

Conhecida pela massa bolonhesa (Ragu como vou explicar noutro post) e mais recentemente pelo famoso Processo de Bolonha, que revolucionou o ensino superior na Europa. Esta cidade, capital da Emilia-Romanha, localiza-se no centro norte de Itália, e tem cerca de 370 000 habitantes.

Considerada por muitos italianos como a segunda cidade mais bela de itália (a seguir a Veneza), tem um dos maiores e mais bem conservados centros históricos de Itália. Os seus edifícios de tijolo, em tons de vermelho, terracota, laranjas queimados e amarelos quentes fazem com que seja conhecida por La Rossa. O centro da cidade é percorrido por quilómetros de quilómetros de passeios cobertos, conhecidos por pórticos.

 A sua universidade é a mais antiga do mundo, e o Archiginnasio foi a sua primeira sede, em 1088. O ex libris da cidade são as torres de Asinelli e Garisenda.

Bolonha - La Rossa - Centro Histórico (visto da Torre Asinelli)

Bolonha é uma cidade onde o turismo de massas ainda não se sente. É, sobretudo, uma cidade universitária, onde se falam muitas línguas, devido à grande afluência de estudantes em ERASMUS. Para mim, o mais marcante nesta cidade é a universidade e os seus alunos.

O aeroporto mais próximo é o Guglielmo Marconi (Bologna) International Airport (IATA: BLQ) (existe outro que algumas companhia aéreas designam como Bolonha, mas que fica bem mais distante da cidade) que fica a poucos minutos do centro. Logo à porta é possível apanhar um autocarro chamado AEROBUS, cujo bilhete custa €5. Se preferirem podem apanhar um taxi, que fica por cerca de €15. Eu fui de autocarro e achei a viagem óptima, o aeroporto é mesmo muito perto da cidade.

Bolonha - La Rossa -  Um dos porticos da cidade

O Posto de Turismo foi complicado de encontrar, fica na Piazza Maggiore, de baixo de umas arcadas. O atendimento não prima pela simpatia, pedi um mapa e atiraram-mo, literalmente, nem perguntaram se precisava de indicações. Sem dúvida o pior Posto de Turismo onde já estive.
Para obter mais informações tive de "bisbilhotar" o suporte que tinham em cima do balcão e pegar no que me interessou. O posto de turismo é mesmo muito fraco e tem pouca documentação.
Enquanto lá estive passou-se uma cena caricata, entrou um senhor e perguntou onde ia ser o Festival do Cacau. As senhoras fizeram um ar de espanto (quase de "este tipo é maluco e está a alucinar") e disseram que não havia nenhum festival do cacau. Isto passou, eu saí e fui dar umas voltas pelo centro. Para meu espanto olho para uma montra e havia um grande cartaz a anunciar o Festival do Chocolate para a semana seguinte.

Ao nível de alojamento fiquei no Hotel Interazionale, que recomendo vivamente. O hotel é óptimo, muito central, os empregados super simpáticos e tem um pequeno-almoço de comer e chorar por mais. Bebi o melhor chocolate quente da minha vida (de que falarei no post sob a gastronomia) e o capuccino tinha um ar excelente.

Bolonha - La Rossa - Hotel Internazionale - Fachada
Bolonha - La Rossa - Hotel Internazionale - Quarto
Bolonha - La Rossa - Hotel Internazionale - WC

Sem comentários:

Enviar um comentário